domingo, 31 de março de 2013

13

Guga vai ganhar uma irmãzinha *-*

Meninas tava doida pra contar essa novidade pra vocês, Guga vai ganhar uma irmãzinha!
Não sei nem o que pensar, não queria outro bebê agora, mas já que veio vai ser muito bem vinda ♥
Já fizemos uma ultra, e o médico deu chances de ser menina, vamos esperar mais um tempo pra ter certeza..

Tô muito anciosa, vou ter que ajustar o nome do blog, arrumar o quarto.. E todas aquelas mudanças que vocês conhecem, rs. Ah, e o nome eu já escolhi, na verdade eu já tinha escolhido pra se o Guga fosse menina, Sabrina *-* O que vocês acham? Eu acho lindo, ia ser o meu nome, mas meu pai colocou Ingrid.. Não que eu não goste, é só que eu gosto mais de Sabrina, rs..
Enfim, vou parar por aqui porque já estou fugindo do foco do post né, kkk'
Então é isso meninas, beeeijos!
#brincadeirinha do Malaaaaaandro! Feliz primeiro de abril pra vocês minhas queridas s2
2

Amostras Grátis - Fraldas Capricho.

Olá minhas queridas, como vocês sabem, as Fraldas Capricho, são nossas parceiras, e nós recomendamos os produtos. E pra vocês poderem experimentar também, as Fraldas Capricho estão disponibilizando amostras grátis! Tá bom ou quer mais? rs.
Pra conseguir é fácil, é só entrar no site e fazer o contato com eles!
E não esqueçam de curtir a página das Fraldas Capricho no Facebook.
Beijos e espero que gostem da dica!
0

Porque o Guga não tem o quarto decorado.

Se eu contar que o quarto do Guga, não é decorado, vocês vão acreditar? kkk. Mas vou explicar porque:
Como vocês sabem, minha gravidez NÃO foi planejada, foi por descuido mesmo. Então quando eu engravidei, nós namorávamos, e às vezes o Artur dormia aqui em casa, mas meu quarto era como o de qualquer outra garota, cama de solteira, guarda-roupa, penteadeira e mesa do computador.
Então quando engravidei, minha mãe já estava na metade da construção do segundo andar, com um quarto pra mim, um pro meu irmão e uma suíte pra ela.
As providências que tivemos que tomar: Comprar uma cama de casal pra gente, um guarda roupa, e os móveis do bebê. Meu irmão já era casado, então minha mãe deu a casa que ela tem em Santa Teresa, sendo assim, ficou um quarto pra mim e um pro Guga e a suíte dela.
O que fizemos: Compramos a cama e o armário no cartão do meu sogro, pesquisamos e compramos também no cartão do pai do Artur um berço com cômoda, que depois vira cama e cômoda separado.
Resultado: Com o Artur ganhando um salário mínimo, e tendo que comprar roupas, e coisas pro bebê e pra mim, exames e tudo mais que vocês sabem que a gente precisa comprar na gravidez, não sobrou dinheiro pra fazer o tão sonhado quarto do bebê.
E agora vocês me perguntam: Mas porque você não fez depois que acabaram as contas?
Muito simples, meu irmão se separou, e voltou pra cá, ficou com a suíte da minha mãe, minha mãe continuou no quarto dela lá embaixo, nós (eu, Artur e o Guga) ficamos nos quartos aqui de cima, porém, minha mãe me deu a casa de Santa Teresa. Sendo assim, deixamos para fazer o tão sonhado quarto do bebê lá.
Esses dias quando fui no meu pai, descobri que meu irmão tinha deixado uma chave com meu pai, e o abusado, estava morando lá, eu disse pra ele que minha mãe tinha dado a casa pra gente, mas ele disse que não ia sair. Então nós vamos ficar por aqui mesmo (pelo menos por enquanto, já que "dizem" que a prefeitura vai tirar todas as casas dessa rua e indenizar).
Resultado: Agora eu resolvi que quero separar os nossos quartos, e decorar o quarto dele.
E já estou mentalizando o que vou fazer, vou aproveitar e postar dicas no estilo 'Faça você mesma', do que eu for fazendo.
Rntão eu vou encerrando por aqui, porque o post já tá muito grande! rs.
Beijos!  E fiquem a vontade para comentar, postar dicas e etc, rs.
(PS: FIZ O POST ONTEM, E ACHEI QUE TINHA POSTADO, AGORA QUE VI QUE ESTAVA NO RASCUNHO, KKK' SÓ EU MESMA #MUITOLERDA!)

sábado, 30 de março de 2013

0

Niver da vovó e Carnaval.

Meninas, vou "tirar o atraso" e postar tudo o que eu tava devendo, então vou juntar os posts, e eles vão ser pequenos, porque se eu for falar tudo não vou conseguir acabar de postar nunca né, rs;

Mês passado foi aniversário da vovó e Carnaval, Guga se divertiu muito nos dois, abaixo umas fotos da bagunça que fizemos no aniver da vovó, inclusive o Guga tomando suco de goiaba e de olho no suco da minha madrinha, kkk'
Bagunçinha no aniver da vovó

No Carnaval, infelizmente só saímos no último dia, porque não dá pra sair sozinha com o Guga né, mas foi muito bom, marcamos encontro no bloquinho infantil, e conhecemos a Ana Lúcia, que faz parte do grupo Mamães de Agosto 2012, que eu carinhosamente chamo de prima, por termos o mesmo sobre-nome e a princesinha dela, ou melhor Pedrita, rs. Uma gostosura não?!
Bloquinho de Carnaval, Guga adorou!

sexta-feira, 29 de março de 2013

1

Festa do amigo do Papai (:

Fomos ao chá de panela da mulher de um amigo do papai, foi bem legal lá, nos divertimos bastante, e o Guga dormiu bem, rs.

Depois deixamos o Guga na casa da dinda e fomos dar uma volta, quando um garoto atropelou a moto do Artur, e caiu, cortou o supercílio e sangrou muito, eu fiquei toda me tremendo, o tio do menino  subiu no moto e o Artur levou ele no UPA, sorte que tinha bastante gente e todo mundo viu que a culpa foi do menino, porque o Artur estava devagar, e o menino saiu de trás de uma van, numa pista de mão dupla sem olhar pro lado.. Mas ele ficou bem, só levou uns pontos.
Enfim, tirando isso o dia foi super legal, e nós três nos divertimos muito!

Guga querendo pegar a cerveja do papai.
0

7 meses.


Post hiper mega atrasado, mas valeu a pena esperar pra vir contar as novidades do meu bebê.
O que ele já sabe fazer:
Sentar (isso mesmo, deite ele que ele dá o jeitinho dele, e senta sem se apoiar nos móveis).
Ficar em pé apoiado nos móveis (estrado do berço, "level down" mais uma vez, rs).
E hoje ele aprendeu a engatinhar *---* Foi tão fofo, é uma cena muito engraçada, ele levanta as pernas, fica com o bumbum lá no alto, depois apoia os joelhos e depois deita de novo, kkk' já gravei um vídeo pra postar.
Se joga pro colo das pessoas que estão saindo de casa (adora uma rua, kkk).
Come muito bem, e quando não quer comer também, não tem que o faça mudar de ideia!
Acho que de novo é só, além de ter aperfeiçoado tudo o que ele sabia fazer antes, como rolar, rs.
Então é isso, beijos e até a próxima s2

quinta-feira, 28 de março de 2013

0

Maternidade Grude.

Especialistas revelam o lado positivo (e negativo) de se dedicar totalmente aos filhos
Amamentação prolongada, filhos que dormem junto com o casal... Especialistas opinam sobre a volta desse velho jeito de educar.


 Um pediatra americano, William Sears, causou polêmica. Ele propõe uma revolução na educação dos pequenos. Ele sugere que amãe entre em sintonia com o bebê para entender sua linguagem, suas necessidades e seus medos noturnos. Recomenda evitar a creche e transportar o filho sempre coladinho ao corpo. Embora um projeto assim obrigue uma revisão geral da carreira, sexualidade, liberdade e da vida social, uma parcela de mulheres já optou por esse estilo de criação. CLAUDIA convocou especialistas para discutir essa tendência da mãe grude e sintetiza aqui o que eles pensam.

O que diz a psicanálise?

Oscar Cesarotto, psicanalista, professor de comunicação e semiótica na PUC-SP

"A cama até podeser dividida como forma de brincar. Na rotina e no sexo, porém, homem e mulher não precisam de mais ninguém ali. Mas, se ela só enxerga o filho, o marido fica ressentido e impotente. Quando busca o psicanalista para reconquistá-la e a neurose é grande, chega odiando o concorrente. Em casos extremos, a supermãe vai à loucura se o quadro se perpetua. Freud dizia que o bebê chupa o peito porque precisa do leite e gosta de peito. Amamentar é gozo. Também para a mulher. Ela cultua o ato ao longo de cinco, seis anos por estar apreciando. Nada contra,não fosse a carga que pesa sobre o filho. Para se tornar adulto e desejar outro ser – já que a mãe não será sua –, terá de fugir do incesto. Há mais de100 anos, a psicanálise vem mostrando que, lamentavelmente, temos de perder. Perdemos a placenta, onde flutuamos, a mama... Todo afastamento é uma castração. Nesse caso, necessária. Espontaneamente, a criança não decidirá parar de mamar. Então, não há negociação: cabe ao adulto cortar. A família toda sofre. O desmame é traumático, mas não tão devastador. Afinal, todo mundo superou. Por último, a educação com apego é só mais uma onda. Nos anos 1970, as mulheres foram trabalhar, os bebês ganharam o leite em pó e a creche. Nos 1990, elas retomaram a amamentação até os seis meses e usaram o dinheiro que ganharam para comprar qualidade de vida. É pouco. Agora, tendo tanto tempo e amamentando tanto, perseguem a hiperqualidade de vida. E estão tendo, por isso, cobertura na mídia. Não é muito narcisismo?” Fonte: Facebook.

terça-feira, 26 de março de 2013

0

Tempo, cadê você meu lindo?!


Pois é meninas, depois que comecei a estudar eu não tenho mais tempo pra NADA! Estou simplesmente um caco, não durmo direito, esqueci até da porcaria da consulta do pediatra (que era hoje), e ele já estava a dois meses sem consulta por conta das férias da pediatra (justo agora ¬¬), a vacina está mais de um mês atrasada, e simplesmente não tem no posto!
Em meio a tanta desordem, faltei a escola na sexta e fui fazer o cpf dele, pra fazer logo a porcaria do plano.
Porém, não sabia que tinha que marcar pra fazer o rg, fala sério né, na minha época era só chegar lá e fazer..
Sério gente, não tenho tempo pra mais NADA!
Tenho que lembrar dos trabalhos da escolas, dos testes, dos livros que tenho que levar..
Sério, estou pirando! A-M-O estar estudando, afinal é quando eu deixo um pouco de lado a mãe/esposa/dona de casa, mas tá difícil viu..
Eu não tenho mais tempo nem de fazer a unha, sério mesmo, meu dedão do pé, tá MEGA encravado, com puz e tudo e não consigo ir na manicure, a casa então, nem se fala, tá um lixo. O final de semana, parecem que são horas, passa voando..
Até a nossa queria Mamãe Roberta Soares, que ganhou o nosso sorteio em parceria com as Fraldas Capricho, não recebeu ainda o prêmio, porque eu não tive tempo de ir nos Correios postar..
Estou ficando doida, não sei mais o que fazer, vocês devem até ter percebido que não postei mais fotos do Projeto 365 Dias, e estou até pensando em desistir, afinal, mais de dois meses que eu não posto..


Não tenho nem conseguido postar sobre os mesversários, nem nada sobre o Guga, só posto coisas que já tenho salvas no rascunhos, pra não desativar o blog mesmo..
É, ser mãe e estudante não é fácil viu.. Pior ainda quando se está naqueles dias --'
Então vou encerrando esse post por aqui, porque se eu for reclamar e contar tudo aqui, ele não vai acabar nunca!
Beijos meus e do Guga, e estou aceitando dicas de como conseguir conciliar mais as coisas viram, kkk.

segunda-feira, 25 de março de 2013

4

Brinquedos e brincadeiras: o estímulo certo para cada idade.

que oferecer como presente para as crianças? É muito comum vermos pais que compram presentes baseados em suas expectativas e desejos não realizados. Um bom exemplo é o autorama para o menino de 1 ano, quem será que vai brincar? Ele ou o pai?
Uma imagem que ficou muito marcada para mim foi no natal de 1990. Meu filho mais velho, então com 2 anos, pediu de presente uma moto do batman. E eu realizei seu desejo, quer dizer o papai noel realizou... Ele ganhou um velotrol (vocês lembram o que é isso?) uma espécie de moto com pedais, do batman, é claro! Eu sempre quiz ter um e achei que ele ia adorar aquela moto enorme... E ele adorou... a caixa do brinquedo!!! Passou dias brincando de entrar e sair da caixa até ela ficar destruída!!!

Conhecer o que a criança é capaz de fazer em cada idade, saber a que tipo de estímulo o cérebro infantil está preparado para receber pode ajudar não só na escolha do brinquedo como orientar o tipo de brincadeira.


1 MÊS
O QUE A CRIANÇA FAZ:
Agita as mãos fechadas, enxerga sem nitidez e apenas o que está a menos de 30 centímetros, responde aos sons de chocalhos, sente prazer ao ser acariciada.
COMO ESTIMULAR:
O principal estímulo é o toque. Isso a faz sentir-se protegida.

2 MESES
O QUE A CRIANÇA FAZ:
Segue objetos com os olhos, esboça sorriso, começa a balbuciar, reconhece a voz da mãe e a procura.
COMO ESTIMULAR:
Instalar móbiles no berço para que o bebê possa acompanhar seus movimentos.

3 MESES
O QUE A CRIANÇA FAZ:
Descobre as mãos e as leva à boca, movimenta braços e pernas de forma simultânea.
COMO ESTIMULAR:
Deixe a criança levar a mão à boca. Assim ela se interessará em pegar objetos. Ofereça mordedores e outros instrumentos de cores vibrantes.

4-5 MESES
O QUE A CRIANÇA FAZ:
4 meses - chora quando deixada sozinha por muito tempo, começa a reconhecer o pai, deixa de ser alimentada apenas com o leite.
5 meses - Percebe pessoas estranhas.
COMO ESTIMULAR:
Imitar sons da criança é uma forma de se comunicar com ela. Oferecer vários sucos de frutas desenvolve o paladar. A variação de alimentos também proporciona cheiros diferentes e estimula o olfato.

6-7 MESES
O QUE A CRIANÇA FAZ:
6 meses - começa a discriminar cores. Vira a cabeça para procurar um objeto, segura a mamadeira, começa a sentar sem apoio, dá arrancos na locomoção, balança o corpo. Os balbucios tomam forma de linguagem.
7 meses - Começa a engatinhar.

COMO ESTIMULAR:
Para incentivar a criança a sentar, a melhor posição é colocá-la de pernas bem abertas e com as mãos no meio. Brinquedos podem ser postos distantes da criança para que ela se sinta estimulada a ir buscá-los e começar a se arrastar. Outra forma de estímulo é o animal de estimação. Quando a criança observa o gato ou o cachorro andando pela casa, quer segui-lo. Evite a linguagem tatibitate. Use palavras simples e de maneira clara.

8 MESES
O QUE A CRIANÇA FAZ:
Percebe que a mãe é uma pessoa separada dela e fica angustiada. Por isso chora à noite com mais freqüência. Começa a dizer “dá” e brinca com prazer.
COMO ESTIMULAR:
A mãe pode ir até o quarto do bebê e acalmá-lo com colo ou colocando uma música que ele goste. Assim, a mãe demonstra que está por perto. A presença da mãe pode ser substituída por um objeto (paninho, chupeta, ursinho) ao qual a criança tenha se afeiçoado e que é deixado no berço.

9 MESES – 1 ANO
O QUE A CRIANÇA FAZ:
9 meses - demonstra vontade de ficar em pé, bate palmas, brinca de esconder, responde ao próprio nome, entende o significado da palavra não.
10 meses - anda segurando em móveis, olha e acompanha figuras em livros.
11 meses - tenta andar sem apoio, segura a colher, aponta os objetos que deseja pegar, repete o sorriso com os outros.
1 ano - começa a andar, quer explorar a casa, consegue folhear um livro, faz riscos no papel, expressa as primeiras sílabas.
COMO ESTIMULAR:
Deixar objetos espalhados pela casa com os quais a criança possa brincar sem se machucar, como bolas. Oferecer livros com cores vivas.

2 ANOS
O QUE A CRIANÇA FAZ:
consegue chutar bola, começa a treinar a representação de papéis e faz-de-conta.
COMO ESTIMULAR:
Contar histórias e incentivá-la a representar personagens. Se não tiver uma resposta pronta para alguma pergunta, pesquise em um livro. A criança será encorajada a fazer o mesmo no futuro. Para ajudá-la no raciocínio, em vez de pedir para que ela conte até nove, por exemplo, peça para ela juntar essa quantia de brinquedos.

3 ANOS
O QUE A CRIANÇA FAZ:
Começa a pedalar, consegue mais firmeza motora a ponto de poder segurar um lápis ou bater no tambor com a baqueta, compartilha as brincadeiras com os coleguinhas. Está pronta para começar a ser alfabetizada.

COMO ESTIMULAR:
Dê lápis e papel, facilite o contato com crianças da mesma idade para que a observação da maneira como os coleguinhas brincam possa enriquecer as suas próprias experiências.

4 ANOS
O QUE A CRIANÇA FAZ:
O cérebro está completamente apto a aprender novos idiomas.
COMO ESTIMULAR:
Colocar a criança numa escola de idiomas.

5 ANOS
O QUE A CRIANÇA FAZ:
Já consegue lavar o rosto e tem maior coordenação motora. Aprende a se vestir sozinha.
COMO ESTIMULAR:
Boa hora para iniciar algum esporte como a natação ou incentivar a criança a vestir sua própria roupa. Pode-se fazer uma pré-seleção de peças para que ela escolha.

6 ANOS
O QUE A CRIANÇA FAZ:
Está em condições de fazer esportes coletivos e assumir algumas responsabilidades.
COMO ESTIMULAR:
Ter de cuidar de um animal de estimação é uma forma de a criança desenvolver, de maneira agradável e afetiva, a responsabilidade.

7 ANOS
O QUE A CRIANÇA FAZ:
Consegue ler e escrever frases mais longas e já pode tentar assistir a filmes legendados.
COMO ESTIMULAR:
Levar a criança ao cinema e ajudá-la na leitura das legendas. Mostrar-lhe artigos de revistas e jornais e não parar de ler livros para ela. Apesar de saber ler, ela gosta da companhia dos pais.
fonte: Revista Istoé Fonte: Facebook.

quinta-feira, 21 de março de 2013

6

Selinho *-*

Obrigada meninas, é muito bom receber esse carinho de vocês ♥

o prêmio blogueiro versátil


Regrinhas:
Agradecer quem te ofereceu o selinho e postar o link do blog.
Obrigada queridas, é muito bom saber que vocês gostam do nosso cantinho, devolvo o selinho pra todas vocês ♥

Convidar 15 blog's a participar da brincadeira.
Postar 7 coisas de que mais gosta;
Ficar com o Artur e o Guga.
Livros de romance.
Seriados de comédia.
Filmes de terror.
Pavê.
Empadão.
Blog (tanto postar, como acompanhar as amigas).

Beijos e até mais!
2

Amamentação - OMS.


Abaixo segue uma cartilha muito útil da Organização Mundial da Saúde.

Desde 1991, a Organização Mundial de Saúde, em associação com a UNICEF, tem vindo a empreender um esforço mundial no sentido de proteger, promover e apoiar o aleitamento materno.
As recomendações da Organização Mundial de Saúde relativas à amamentação são as seguintes:
  • As crianças devem fazer aleitamento materno exclusivo até aos 6 meses de idade[1]. Ou seja, até essa idade, o bebê deve tomar apenas leite materno e não deve dar–se nenhum outro alimento complementar ou bebida.
  • A partir dos 6 meses de idade todas as crianças devem receber alimentos complementares (sopas, papas, etc.) e manter o aleitamento materno.
  • As crianças devem continuar a ser amamentadas, pelo menos, até completarem os 2 anos de idade.

O leite humano é muito diferente do leite adaptado (leite em pó).
O leite materno contém todas as proteínas, açúcar, gordura, vitaminas e água que o seu bebé necessita para ser saudável.Além disso, contém determinados elementos que o leite em pó não consegue incorporar, tais como anticorpos e glóbulos brancos. É por isso que o leite materno protege o bebê de certas doenças e infecções.


O aleitamento materno protege as crianças de:

Otites
Alergias
Vômitos
Diarreia
Pneumonias
Bronquiolites
Meningites
      
Outras vantagens do leite materno para o bebê:  
 Melhora o desenvolvimento mental do bebê;

É mais facilmente digerido;

Amamentar promove o estabelecimento de uma ligação emocional, muito forte e precoce, entre a mãe e a criança, designada tecnicamente por vínculo afetivo. Atualmente, sabe-se que um vínculo afetivo sólido facilita o desenvolvimento da criança e o seu relacionamento com as outras pessoas;

O acto de mamar ao peito melhora a formação da boca e o alinhamento dos dentes.


Amamentar tem vantagens também para a mãe:

A mãe que amamenta sente-se mais segura e menos ansiosa;

Amamentar faz queimar calorias e por isso ajuda a mulher a voltar, mais depressa, ao peso que tinha antes de engravidar;

Ajuda o útero a regressar ao seu tamanho normal mais rapidamente;

A perda de sangue depois do parto acaba mais cedo;

A amamentação protege do cancro da mama que surge antes da menopausa;

A amamentação protege do cancro do ovário;

A amamentação protege da osteoporose;

A amamentação exclusiva protege da anemia (deficiência de ferro). As mulheres que amamentam demoram mais tempo para ter menstruações, por isso as suas reservas de ferro não diminuem com a hemorragia mensal;

Amamentar é muito prático! Não é necessário esterilizar e preparar biberões. Não é necessário levantar-se de noite para preparar o biberão.


Amamentar também é vantajoso para a família:

A amamentação é mais econômica para a família. Basta multiplicar o preço de uma lata de leite em pó, pelo número de latas necessárias ao longo da vida da criança, e somar ainda o dinheiro gasto em biberões e tetinas.


O leite adaptado (leite em pó) é muito diferente do leite materno e a sua utilização tem riscos para o bebé:

Os leites artificiais usados habitualmente, são feitos a partir de leite de vaca. Por essa razão, o uso de leite artificial aumenta o risco de alergia ao leite de vaca.

As crianças que são alimentadas com leite artificial têm maior risco de vir a sofrer de otites, amigdalites, bronquiolites, pneumonias, diarreias, infecções urinárias e sépsis.

As crianças alimentadas com leite em pó, além de terem maior risco de sofrer as infecções referidas, as infecções de que sofrem surgem com maior gravidade, porque o seu sistema imunitário não recebe a ajuda dos anticorpos, glóbulos brancos e outros fatores imunológicos presentes no leite materno.

As crianças alimentadas com leite artificial têm maior risco de desenvolver linfomas.

As crianças que são alimentadas com leite em pó têm maior risco de vir a sofrer de Diabetes tipo I (insulino-dependente).

As crianças que são alimentadas com leite artificial têm maior risco de sofrer obesidade na vida adulta.

As crianças alimentadas com leite em pó têm maior risco de desenvolver eczema, asma e outras manifestações de doença alérgica.

A UNICEF calcula que um milhão e meio de crianças morrem por ano por falta de aleitamento materno. E não se pense que é só nos países do terceiro mundo. Mesmo nos países industrializados muitas mortes se poderiam evitar com o aleitamento materno[1].

Espero que o post seja útil, porque por incrível que pareça, tem mulheres que não amamentam simplesmente por não querer.. Nunca se esqueçam que não há nada melhor para nossos filhos, do que nosso leite. Comentem à vontade, não esquecendo a educação. Beijos :*

quarta-feira, 20 de março de 2013

4

Novidades!


Vocês perceberam que o nosso cantinho tá diferente né? Eu ameeeeei, ficou lindo né?! *-*
Isso foi obra da Leticia, do Leticia Layouts, ela foi super atenciosa, aturou minha chatisse, e mudou as coisas trocentas vezes até chegar a esse resultado, que eu adorei ♥♥ E olha que eu ganhei esse layout em um sorteio, no blog da minha chara, Ingrid Ferreira.
E com o Layout o que veio? Parceria õ/ Logo, logo eu faço o post do Sorteio!
E eu tinha mais coisa pra escrever mais agora fugiu tudo da caixola, kkk.
Então é isso, aguardem o sorteio e feliz dia do blogueiro pra todas nós ♥
Beijos e não esqueçam de comentar o que acharam do visu novo do blog! :*

terça-feira, 19 de março de 2013

2

Os primeiros alimentos do bebê.

Depois de um longo período em que o pequeno se alimenta apenas de leite materno, saiba como incorporar as papinhas, as sopinhas e as frutas ao cardápio.

Aos 6 meses, uma grande mudança acontece na vida do pequeno: além do leite materno, ele passa a saborear papinhas, sopas e frutas. Essa adaptação nem sempre é fácil. Algumas crianças, simplesmente, não aceitam a novidade. Para ajudar mãe e filho nessa transição, reunimos dicas preciosas de nutricionistas e pediatras. A ideia é tornar a hora da refeição um momento prazeroso e cheio de descobertas para a garotada. Bom apetite!

1. Hábitos alimentares saudáveis começam pela amamentação
Até os 6 meses, nada de água, chás e sucos, somente leite do peito. Além de nutrir, imunizar e estreitar laços afetivos, o alimento materno deixa lições que a criança guarda para o resto da vida. Uma das mais importantes delas é a chamada autorregulação. Ao decidir quanto e quando vai mamar, o recém-nascido aprende a lidar com a saciedade, o que reduz e muito o risco de obesidade no futuro. Aliás, um deslize bastante comum nessa fase é associar sempre o choro à fome. Dar o peito toda vez que o pequeno abre o berreiro pode fazer com que ele recorra à comida a cada frustração da vida. Nessa fase, seu filho também já começa a ter contato com os diferentes sabores dos alimentos. Isso acontece porque o gosto do leite muda conforme a dieta da mãe. Portanto, é absolutamente recomendável que a família siga uma alimentação balanceada, fugindo da monotonia.

2. Nada de substituir o leite materno pelo leite de vaca integral
Na impossibilidade de amamentar, os pais devem fornecer fórmulas infantis prescritas pelo pediatra. Isso vale especialmente para o primeiro ano de vida. Nada de substituir o leite materno pelo leite de vaca integral, o que pode comprometer o desenvolvimento da criança, deixando sequelas. De acordo com os especialistas, o consumo da bebida láctea de origem animal nessa fase pode levar à sobrecarga renal devido ao excesso de proteína e sódio. Sem contar no baixo fornecimento de ácidos graxos essenciais, ferro, zinco e algumas vitaminas. Em outras palavras, há o risco de problemas cognitivos, anemia, prejuízo ao crescimento, falta de proteção contra infecções e mais vulnerabilidade a doenças crônicas.

3. Ao preparar a papinha, não use o liquidificador
O sexto mês marca uma mudança importante na dieta de uma criança. É o período em que os pais devem introduzir as papinhas na rotina alimentar dos filhos. Tanto salgadas como doces. Serão, em média, quatro mamadas para duas papas. Aqui uma dica importante é jamais usar o liquidificador, que tritura sem piedade qualquer ingrediente. Os pediatras seguem uma receita clássica: a papinha deve ser pastosa, mas não totalmente liquefeita. Em outras palavras, você terá de peneirar, ralar, raspar, espremer ou amassar os alimentos nessa primeira etapa. Não existe restrição em relação às frutas a serem usadas, embora muitos evitem as mais ácidas - preferem a laranja-lima, por exemplo. Seja como for, a principal preocupação é que elas sejam frescas, in natura e, de preferência, da estação.

4. A primeira papa salgada deve ser oferecida junto com a doce
Se a criança não aceitar bem a novidade, complemente a refeição com o leite materno. Entre os grupos de alimentos que podem ser cozidos, peneirados e amassados, estão as principais categorias: cereais ou tubérculos, leguminosas, carne (vaca e frango) e hortaliças (verduras e legumes). O óleo vegetal deve ser usado em menor quantidade. As sopinhas podem ser preparadas, por exemplo, com batata, cenoura, caldo de músculo, cebola, sal e azeite. Pode-se também incluir outros legumes, folhas e carnes. Fica o recado: é imprescindível usar alimentos frescos e tomar cuidado com o excesso de sal, além de evitar temperos fortes, como a pimenta.

5. Ofereça água e suco no copo
Nessa fase, o bebê também deve começar a tomar água e sucos naturais, sem a adição de açúcar. Procure oferecer, no máximo, 100 mililitros por dia. Sempre no copo para não ameaçar a amamentação com a confusão de bicos. Os sucos, principalmente os de frutas cítricas, devem ser oferecidos após as refeições para melhorar a absorção do ferro, presente, por exemplo, na carne vermelha, no feijão e nas folhas verde-escuras. Jamais substitua os alimentos sólidos por bebidas. Para matar a sede, dê a água e não o suco.

6. Use vários tipos de peneira
Depois que o novo cardápio já entrou na rotina alimentar da criança, suas refeições se resumirão a três mamadas e três papinhas, duas salgadas e uma doce, além dos sucos e da água. Para graduar a consistência das sopinhas, vale a pena investir em diferentes peneiras. A ideia é usar telas com entrançamentos cada vez menos estreitos, permitindo que os alimentos fiquem paulatinamente mais endurecidos.

7. Nada de festa se o pequeno raspou o prato
A introdução dos alimentos sólidos pode gerar estranhamento e estresse na criança. Leve isso em consideração ao colocá-la no cadeirão. Com o tempo, ela deve se render aos prazeres da comida, mas, até lá, tenha bastante paciência. Fuja dos modelos de recompensa e de ameaça. Quer dizer, nada de festa se raspou o prato ou broncas porque cuspiu a comida. O ambiente deve ser o mais tranquilo e aconchegante possível na hora da refeição. O cansaço, a irritação e o nervosismo dos pais interferem no humor do bebê. Adotar horários fixos também é importante, assim o organismo do pequeno vai se acostumando à rotina.

8. Aos 9 meses, separe os alimentos
Do nono mês até o primeiro ano de vida, o bebê deve passar gradativamente para a refeição da família, com ajuste apenas na consistência dos alimentos. Não é preciso lembrar a importância dos hábitos alimentares da casa na dieta dessa criança. Se os pais comem lasanha congelada, sanduíches e pizza vários dias por semana, a criança terá dificuldades para criar uma dieta saudável. O cardápio deve ter alimentos variados, coloridos e frescos. A monotonia é outro risco que deve ser evitado, sob pena de o pequeno se tornar seletivo demais. Uma dica valiosa é separar os alimentos para que ele sinta o gosto de cada um. Se possível, prepare refeições que encham os olhos. Vale, inclusive, optar por pratos infantis, que já vêm com divisórias. Procure também deixar seu filho apreciar o aroma da comida, feita na hora. Tudo isso vai despertar os sentidos dele. Ah, a reunião de toda a família à mesa é mais um fator a favor da alimentação saudável.


Fontes
Médica Roseli Oselka Saccardo Sarni, presidente do Departamento Científico de Nutrologia da Sociedade Brasileira de Pediatria;

Nutricionista Susy Graff, especialista em nutrição clínica e responsável pelo site Nutrikids.

E aí, gostaram do post? Quase nunca vejo posts sobre o assunto, então achei legal dividir com vocês;
Beijos e já sabem, comentem à vontade, e perguntem o que quiserem, não esquecendo da educação!

segunda-feira, 18 de março de 2013

2

Fumo Passivo na Gravidez.


Vamos saber um pouco mais sobre esse assunto, e que complicações ele pode causar nos babys?
Abaixo uma pesquisa que achei sobre o assunto (e que é muito importante!).



Fumo passivo na gravidez prejudica neurodesenvolvimento do bebê

Pesquisa mostra que grávidas expostas passivamente à nicotina podem ter bebês com complicações semelhantes às de mães fumantes 

Que fumar durante a gravidez é prejudicial para mãe e filho você já sabe. O que agora os cientistas cada vez mais reforçam em estudos é sobre os riscos que o fumo passivo também traz para o feto. É exatamente o que mostrou uma pesquisa recente, realizada pela Rovira i Virgili University, na Espanha, e publicado na revista Early Human Development.

A pesquisa analisou os efeitos do tabagismo passivo no neurodesenvolvimento de bebês. Para isso, os cientistas avaliaram o comportamento de 282 recém-nascidos, utilizando uma escala de avaliação comportamental neonatal, que avalia as respostas dos bebês a estímulos externos entre 48 e 72 horas após o nascimento, a fim de analisar suas habilidades neuromotoras.

Das crianças estudadas, 22% eram filhos de mães fumantes e 6%, de mães que foram expostas ao tabagismo passivo. Entre as fumantes, 12,4% fumavam de 1 a 5 cigarros por dia; 6,7%, de 6 a 10, e 2,8%, de 10 a 15 cigarros.

O estudo concluiu que os recém-nascidos que tiveram exposição intrauterina à nicotina, seja de forma ativa ou passiva, tiveram seu desenvolvimento neurocomportamental afetado pela substância. Em outras palavras, os bebês expostos ao cigarro durante a gestação apresentaram baixa pontuação, de acordo com a escala, na capacidade de inibir estímulos que poderiam alterar o sistema nervoso central.

“A nicotina gera uma menor oxigenação dos tecidos, o que pode causar uma pré-disposição para o desenvolvimento de problemas neurológicos na criança, como déficit de atenção, comportamento agressivo e complicações neuromotoras”, diz Jurandir Passos, ginecologista, obstetra e especialista em medicina fetal do Laboratório Delboni Auriemo (SP).

E não é só isso: “A fumaça do cigarro, extremamente tóxica, traz outras complicações, como baixo peso do recém-nascido, partos prematuros, placentas com menor massa (o que compromete a troca de nutrientes e oxigênio entre mãe e feto) e até mesmo a interrupção da gestação”, reforça Passos.

Assim, fica uma dica para quem convive com a gestante: uma gravidez saudável depende da mulher, claro, mas também de todos que convivem com ela.
Sempre é tempo de parar de fumar
O ideal para a mulher que fuma é acabar com o (mau) hábito antes mesmo de engravidar. Mas, se você descobriu que está grávida e não tinha até então largado o cigarro, fique calma! “Quando a mulher para de fumar, o nível de nicotina no sangue cai e o bebê já começa a sentir benefícios imediatos”, conta Karina Zulli, ginecologista, obstetra e especialista em reprodução humana do Hospital e Maternidade São Luiz (SP). “O feto irá se desenvolver melhor, crescer mais e a gestação será mais saudável.”

A leitora da CRESCER Jânia Bandeira contou em nossa página do Facebook sobre a sua experiência com o cigarro: “Fumei o meu último cigarro quando peguei o resultado positivo da minha primeira gravidez e nunca mais voltei. Isso já vai fazer cinco anos!”. Ela disse, ainda, que o marido, que também era fumante, parou por completo de fumar com o nascimento do bebê.

Como você pode ver, a gestação pode ser uma oportunidade não só para a gestante ganhar um estilo de vida mais saudável, mas também para todos à sua volta e que farão parte da vida do bebê.
Esperam que tenham gostado do post. Beijos e fiquem à vontade para comentar s2 !

domingo, 17 de março de 2013

5

Andador


Sempre me perguntam se eu vou colocar o Guga no andador. Quando eu digo que não as pessoas começam a dizer que ele vai aprender a andar rápido, que não faz mal nada e blá, blá, blá..
Então eu resolvi separar uns trechos de umas reportagens pra que fique bem claro o mal que o andador faz, e para as mamães pensarem bem antes de gastar dinheiro com uma coisa que põem a vida de seus filhos em risco, por besteira. "Tudo no tempo de Deus".
 
Por volta dos 7 meses, os bebês começam a ficar em pé no berço ou no "chiqueirinho". Essa conquista é o sinal de que a criança andará em alguns meses e não pretende ficar paradinha esperando por isso. Vai saracotear pela casa, pedir ajuda para ficar em pé e assim dar mais trabalho aos adultos que cuidam dela. A família, então, logo pensa em uma solução prática: o andador para fazer a criança andar mais depressa. É um erro. O equipamento é condenado por pediatras, ortopedistas e pela Sociedade Brasileira de Pediatria. Crianças em andadores caem sobre objetos, fornos, piscinas, aquecedores e rolam escada abaixo, além de se intoxicar com mais freqüência devido à facilidade de locomoção. "Já atendi no pronto socorro crianças com casos gravíssimos de fratura de crânio, provocados por quedas no andador", diz a pediatra Renata Waksman, do Hospital Israelita Albert Einstein, de São Paulo. Segundo ela, o andador também não ajuda a criança a andar. "Atrapalha, porque o bebê aprende a se deslocar de forma incorreta." 


Só problema A lista de malefícios do andador não se restringe a quedas e aprendizado errado. "O uso pode causar microfraturas na tíbia, o osso abaixo do joelho, e no fêmur", explica o ortopedista Nelson Elias, professor da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj). A pediatra Renata acrescenta que também podem ocorrer lesões no tornozelo e nos pés. "A criança dessa idade ainda não se apóia bem na planta dos pés e o andador não a estimula a fazer isso. Vai andar na ponta dos pés ou apoiar-se no dorso deles, movimentos que podem até fraturar os dedinhos", alerta. O andador também sobrecarrega a musculatura das pernas. O resultado do esforço podem ser lesões nas articulações. 

Ajuda do bem Aos pais que desejam ajudar o filho a andar e não sabem como, Rosa Resegue, pediatra-assistente do Departamento de Pediatria da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), indica que o único andador adequado é aquele em forma de brinquedo que as crianças empurram. Ficar em pé no chão, encostado no sofá, é outro auxílio indicado. O melhor, porém, é que a criança aprenda a caminhar naturalmente, descalça, caindo sobre o bumbum e se levantando. Esse senta-e- levanta é que vai contribuir na conquista do equilíbrio, fator importante para ficar em pé corretamente e se movimentar com segurança.(http://revistacrescer.globo.com/Revista/Crescer/0,,EMI15996-15056,00.html)


Teoria da vovó, o seu bebê não precisa usar andador! Ao invés de favorecer os primeiros passos o seu uso implica em atrasos no desenvolvimento sensório-motor, coordenação motora, além de contribuir para acidentes domésticos.
Hoje em dia, os andadores circulares estão sendo substituídos pelo andador vertical, que respeita o aprendizado motor da criança, mas também deve ser oferecido em idade adequada e na supervisão do adulto.
Saiba mais porque o andador é um acessório que não deve fazer parte do sue enxoval.
A criança desenvolve o controle do corpo em etapas seqüenciais e pré-determinadas. Num primeiro momento o bebê sustenta a cabeça, em seguida rola o corpo, arrasta-se, senta com apoio e depois sem apoio, engatinha, fica em pé e termina por andar. Em todas essas fases a criança está amadurecendo neurologicamente, além de seu corpo estar se exercitando, alongando, fortalecendo, treinando equilíbrio, coordenação, conhecendo o próprio corpo, para enfim andar. Com o uso do andador a criança é “forçada” a pular fases, principalmente o engatinhar, levando o atraso no andar.
Além do atraso corporal a criança poderá sofrer atraso na aquisição da fala, simplesmente pela falha no desenvolvimento neurológico que se resume em andar-falar-pensar.
Outro ponto negativo para o andador é que a criança toca o chão muitas vezes apenas com as pontas dos pés, podendo causar atrasos na formação dos arcos plantares contribuindo para o pé plano (pé chato). A posição no andador também poderá levar a deformações no quadril.
A falsa sensação de liberdade oferecida pelo andador impede que a criança explore o ambiente. Para a criança desenvolver-se bem e sem atrasos, podemos estimular através de brincadeiras, principalmente no chão para que os pequenos “treinem” todas as fases. Atividades como essa necessitam de uma supervisão dos pais tanto para estimular como para livrar os pequenos dos perigos escondidos em casa. Talvez seja isso que motiva os pais a usarem o andador, pois se a criança está no andador ela está segura. Isso é incorreto! É comum o andador virar com um simples impulso da criança causando acidentes.
O bebê precisa experimentar seu corpo livremente e os “tombinhos” são naturais para ao aprendizado e domínio do corpo. Estimule seu filho (a) com o que há de melhor, sua presença!

 E você colocou seu filho no andador? Concorda com o post? Sinta-se à vontade para comentar! Lembrando que a educação vem sempre em primeiro lugar ;) 
Beijos!


Nascimento do Príncipe