domingo, 17 de março de 2013

5

Andador


Sempre me perguntam se eu vou colocar o Guga no andador. Quando eu digo que não as pessoas começam a dizer que ele vai aprender a andar rápido, que não faz mal nada e blá, blá, blá..
Então eu resolvi separar uns trechos de umas reportagens pra que fique bem claro o mal que o andador faz, e para as mamães pensarem bem antes de gastar dinheiro com uma coisa que põem a vida de seus filhos em risco, por besteira. "Tudo no tempo de Deus".
 
Por volta dos 7 meses, os bebês começam a ficar em pé no berço ou no "chiqueirinho". Essa conquista é o sinal de que a criança andará em alguns meses e não pretende ficar paradinha esperando por isso. Vai saracotear pela casa, pedir ajuda para ficar em pé e assim dar mais trabalho aos adultos que cuidam dela. A família, então, logo pensa em uma solução prática: o andador para fazer a criança andar mais depressa. É um erro. O equipamento é condenado por pediatras, ortopedistas e pela Sociedade Brasileira de Pediatria. Crianças em andadores caem sobre objetos, fornos, piscinas, aquecedores e rolam escada abaixo, além de se intoxicar com mais freqüência devido à facilidade de locomoção. "Já atendi no pronto socorro crianças com casos gravíssimos de fratura de crânio, provocados por quedas no andador", diz a pediatra Renata Waksman, do Hospital Israelita Albert Einstein, de São Paulo. Segundo ela, o andador também não ajuda a criança a andar. "Atrapalha, porque o bebê aprende a se deslocar de forma incorreta." 


Só problema A lista de malefícios do andador não se restringe a quedas e aprendizado errado. "O uso pode causar microfraturas na tíbia, o osso abaixo do joelho, e no fêmur", explica o ortopedista Nelson Elias, professor da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj). A pediatra Renata acrescenta que também podem ocorrer lesões no tornozelo e nos pés. "A criança dessa idade ainda não se apóia bem na planta dos pés e o andador não a estimula a fazer isso. Vai andar na ponta dos pés ou apoiar-se no dorso deles, movimentos que podem até fraturar os dedinhos", alerta. O andador também sobrecarrega a musculatura das pernas. O resultado do esforço podem ser lesões nas articulações. 

Ajuda do bem Aos pais que desejam ajudar o filho a andar e não sabem como, Rosa Resegue, pediatra-assistente do Departamento de Pediatria da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), indica que o único andador adequado é aquele em forma de brinquedo que as crianças empurram. Ficar em pé no chão, encostado no sofá, é outro auxílio indicado. O melhor, porém, é que a criança aprenda a caminhar naturalmente, descalça, caindo sobre o bumbum e se levantando. Esse senta-e- levanta é que vai contribuir na conquista do equilíbrio, fator importante para ficar em pé corretamente e se movimentar com segurança.(http://revistacrescer.globo.com/Revista/Crescer/0,,EMI15996-15056,00.html)


Teoria da vovó, o seu bebê não precisa usar andador! Ao invés de favorecer os primeiros passos o seu uso implica em atrasos no desenvolvimento sensório-motor, coordenação motora, além de contribuir para acidentes domésticos.
Hoje em dia, os andadores circulares estão sendo substituídos pelo andador vertical, que respeita o aprendizado motor da criança, mas também deve ser oferecido em idade adequada e na supervisão do adulto.
Saiba mais porque o andador é um acessório que não deve fazer parte do sue enxoval.
A criança desenvolve o controle do corpo em etapas seqüenciais e pré-determinadas. Num primeiro momento o bebê sustenta a cabeça, em seguida rola o corpo, arrasta-se, senta com apoio e depois sem apoio, engatinha, fica em pé e termina por andar. Em todas essas fases a criança está amadurecendo neurologicamente, além de seu corpo estar se exercitando, alongando, fortalecendo, treinando equilíbrio, coordenação, conhecendo o próprio corpo, para enfim andar. Com o uso do andador a criança é “forçada” a pular fases, principalmente o engatinhar, levando o atraso no andar.
Além do atraso corporal a criança poderá sofrer atraso na aquisição da fala, simplesmente pela falha no desenvolvimento neurológico que se resume em andar-falar-pensar.
Outro ponto negativo para o andador é que a criança toca o chão muitas vezes apenas com as pontas dos pés, podendo causar atrasos na formação dos arcos plantares contribuindo para o pé plano (pé chato). A posição no andador também poderá levar a deformações no quadril.
A falsa sensação de liberdade oferecida pelo andador impede que a criança explore o ambiente. Para a criança desenvolver-se bem e sem atrasos, podemos estimular através de brincadeiras, principalmente no chão para que os pequenos “treinem” todas as fases. Atividades como essa necessitam de uma supervisão dos pais tanto para estimular como para livrar os pequenos dos perigos escondidos em casa. Talvez seja isso que motiva os pais a usarem o andador, pois se a criança está no andador ela está segura. Isso é incorreto! É comum o andador virar com um simples impulso da criança causando acidentes.
O bebê precisa experimentar seu corpo livremente e os “tombinhos” são naturais para ao aprendizado e domínio do corpo. Estimule seu filho (a) com o que há de melhor, sua presença!

 E você colocou seu filho no andador? Concorda com o post? Sinta-se à vontade para comentar! Lembrando que a educação vem sempre em primeiro lugar ;) 
Beijos!


5 comentários:

  1. Respostas
    1. Own, brigada amiga!
      Vou correr lá pra ver *-*

      Excluir
  2. Tambem sou super contra o andador, alem de forçar a criança, tem outros perigos inumeros, quando vi uma reportagem no programa bem estar, fiquei chocada e decidi não comprar essa arma. ja ouvi dizer tambem que ele até atraza o bebe a andar por causa da comodidade que ele da. Adorei o post alertando as mamães parabens

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, pena que nem todo mundo pensa assim..
      É, eu vi também, mas é sempre bom alertar né, rs.
      Beijos;

      Excluir
  3. Oi Ingrid, tem dois selinhhos para vc no meu blog, dá uma olhada. Bjos
    http://fabriciabrito.blogspot.com.br/2013/03/tags-1.html
    http://fabriciabrito.blogspot.com.br/2013/03/tag-2.html

    ResponderExcluir

Nascimento do Príncipe