sexta-feira, 31 de maio de 2013

1

Mimo recebido: BaliHai Stickers.

Meninas, como disse nesse post, a BaliHai Stickers nos mandou um adesivo liiiiiiiiindo no tema Safari pra mim decorar o quarto do Guga, e ele chegou semana passada! *-*
Então eu voltei hoje pra mostrar como ficou lindo e como é fácil de colar, eu mesma consegui, sem ajuda de ninguém, rs.
Os adesivos vieram dentro desse tubo preto, pra não amassar, lacradinho!
Dentro veio esse passo a passo com a régua.

E os adesivos

E esse panfleto, mostrando outros adesivos lindos!

Como colar o adesivo
Você tira os adesivos, põem sobre alguma superfície plana e passa a régua,  para "desenrolar", depois pega fita crepe e monta na parede pra visualizar como fica (apaguei a foto dessa parte sem querer, rs). Quando tiver certeza que está tudo retinho e na posição que você quer, você vai puxando o papel branco, e passando a régua, pra fixar bem. Fica assim:


E agora a parte mais fácil, só você ir retirando esse plástico azul e pronto! Vejam o resultado *-*
Lindo sim ou claro?! Então corre já pro site e adquira o seu!
Muito obrigada BaliHai Stickers pelo presente, adorei e o Guga também!  Beijos ;*

quinta-feira, 30 de maio de 2013

3

Sorteio no blog Diário de Maternidade.

Oi meninas, só estou passando rapidinho, pra convidar vocês a participar de um sorteio que eu estou participando, no blog da Bruna, o Diário de Maternidade, é só clicar no link, ou na foto, beijos!
0

6 meses de licença-maternidade.

Se tem uma coisa que eu nunca entendi, foi os médicos e o governo incentivarem tanto a amamentação exclusiva até os seis meses, e o máximo de licença-maternidade garantido pela ser só 4 meses. Esses dia, lendo o blog da Aline, eu vi que isso está prestes (ou não) pra mudar, que isso depende muito da gente também! Aqui, os dois textos que ela postou no blog dela, e eu aconselho que vocês leiam e rebloguem!..

"A ampliação da licença-maternidade de quatro para seis meses tem sido alvo de discussões nos últimos anos. O Senado aprovou a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) 064/2007, de autoria da senadora Rosalba Ciarlini (DEM-RN), que defende seis meses de licença-maternidade obrigatória a todas as trabalhadoras.
Essa nova proposta ainda tramita na Câmara dos Deputados e não há previsão de quando deve entrar em vigor. Mas desde a sanção da lei 11780, em 2008, políticos, médicos e especialistas em carreira têm discutido os prós e contras da licença-maternidade de seis meses. De acordo com a lei atual, apenas as mães que trabalham em empresas parceiras do Programa Empresa Cidadã têm direito à licença ampliada de seis meses, assim como as funcionárias públicas.
Em declaração à Agência Senado, a autora da nova PEC disse que a proposta é resultado de suas observações quando atuava como pediatra. “Via a angústia das mães quando tinham que voltar ao trabalho. Com a licença de seis meses, elas podem retornar mais produtivas e tranquilas, sabendo que as crianças terão a garantia de um desenvolvimento psíquico mais equilibrado”, disse a senadora."
Fonte: Crescer.

Benefícios da Amamentação Exclusiva por 6 meses
A Parto do Princípio está mobilizando uma campanha nacional para aumentar a licença maternidade de 120 para 180 dias. Convidamos homens e mulheres, trabalhadores e trabalhadoras, a cobrar seus deputados federais para que estes aprovem o Projeto de Emenda Constitucional nº 515/2010, que tem como objetivo alterar, na Constituição Federal, a duração da licença maternidade.
Somos favoráveis que a licença maternidade seja de seis meses (180 dias) porque esse período é, de fato fundamental para que toda família adapte-se à chegada do bebê. Além disso, nesses primeiros seis meses de vida, como inúmeros estudos já comprovaram, a alimentação do bebê deve ser exclusivamente o leite materno – o que deixa evidente a dependência do bebê em relação à sua mãe durante esse período.
A legislação brasileira garante licença maternidade de quatro meses para todas as mães trabalhadoras, mesmo que seus bebem sejam adotivos. Esse período, de fato, é fundamental para a família, mas não é suficiente para garantir o desenvolvimento emocional, físico e imunológico do bebê, bem como para o estabelecimento da amamentação exclusiva, o bem-estar materno e paterno e um retorno saudável e eficiente para o trabalho.
O aleitamento materno tem papel crucial nesse começo de vida. Sua função não se restringe à alimentação do bebê, mas se estende ao estabelecimento do vínculo com a mãe e à formação do sistema imunológico do bebê. Quando a mãe amamenta, produz inúmeros benefícios, como proteger a criança de doenças (infecções, doenças atópicas e diabetes mellitus), garante seu desenvolvimento físico e motor (desenvolvimento da musculatura oral interna e externa, desenvolvimento ortodôntico, reflexos de sucção e de deglutição, desenvolvimento respiratório, dentre outros), seu desenvolvimento emocional (formação de vínculo, autonomia), promove melhor desenvolvimento neurológico (desenvolvimento cognitivo) e ainda a mãe se beneficia com o retorno de seu organismo que se modificou durante a gravidez (peso, tamanho uterino, alterações hormonais), protege-se temporariamente de uma nova gravidez, protege-se de possíveis doenças futuras (câncer de mama e de ovário, fraturas no quadril e osteoporose) e ainda, a amamanetação facilita o estabelecimento do vínculo com seu bebê, que promove maior segurança na sua nova função de maternar.
Bebês alimentados artificialmente têm maior risco de contrair:
Infecções gastrointestinais, infecções respiratórias, enterocolite necrosante, infecções de ouvido, alergias (eczema, asma e dificuldade respiratória), diabetes.
Hoje, sabe-se que todos esses benefícios são ainda maiores quando a amamentação exclusiva estende-se até o sexto-mês de vida da criança. E é por esse motivo que está tramitando um Projeto de Emenda Constitucional (PEC 515/2010) que pretende tornar obrigatória a licença maternidade de 6 meses para todas as trabalhadoras.
Lembre-se: a amamentação exclusiva pelos 6 primeiros meses evita a morte do bebê! Crianças menores de 6 meses que não mamam no peito têm 84% mais chances de quadros de diarréia em comparação com aquelas que são alimentadas exclusivamente com leite materno.
Além disso, o que é nítido em termos de políticas públicas, é que o aleitamento materno exclusivo, ao proteger mãe e bebê física e emocionalmente, diminui os custos do governo com remédios, tratamentos, leitos hospitalares e remuneração de profissionais de saúde para tratar doenças que acometem mais freqüentemente os bebês que não foram amamentados e as mães que não puderam amamentar. Diminui também os gastos do governo com fórmulas artificiais, sobretudo as fórmulas artificiais específicas (anti-alergênicas e probióticas), uma vez que o leite materno é o alimento ideal para o bebê.
O aumento da duração da licença maternidade de 4 para 6 meses contribui também para o meio ambiente, devido à redução da fabricação e uso de materiais danosos ao meio ambiente, como produção de materiais plásticos (mamadeira que advém de recursos do petróleo), assim como o uso de combustível e água usados na preparação de fórmulas artificiais.
A amamentação é considerada uma das estratégias de maior e melhor custo-benefício. Com o aleitamento materno todo mundo sai ganhando: famílias, governo e patrões economizam. Criança que mama no peito fica doente menos vezes e, como conseqüência os pais gastam menos, sentem-se mais seguros, faltam menos ao trabalho e solicitam menos vezes os serviços de saúde.
A amamentação precisa ser protegida e apoiada! Nossos filhos têm direito à saúde e o Estado tem o dever de dar condições para que isso possa ocorrer.
E essa deve ser uma luta de todos nós! Cuidar de nossos filhos é investir no futuro!
Fonte: Parto do princípio

quarta-feira, 29 de maio de 2013

6

Um bebê pode nascer com o cordão umbilical enrolado?

Seu bebê pode nascer com o cordão enrolado?? SIM! Vale a pena a leitura...

Me amarrei no seu cordão; por Ana Cristina Duarte.

Poucas coisas causam mais terror no imaginário do brasileiro do que o cordão umbilical. Enquanto em outros países as muheres e médicos nem pensem no assunto, no Brasil esse é o maior hit nas paradas jornalísticas, midiáticas e pseudo-médicas. Quem nunca ouviu essa frase:
- Daí o médico fez a cesárea e o bebê tinha duas circulares no pescoço, e ele disse "ainda bem que foi cesárea, pois se fosse parto normal seu bebê teria morrido".
Que lorota feia, doutor!
Ou a outra não menos clássica:
- Meu médico é super a favor do parto normal, mas ele não arrisca. Se tiver algum exame que mostre alguma coisa errada, cordão enrolado no pescoço, por exemplo, ele opera.

O cordão umbilical pode medir desde alguns poucos centímetros (é isso mesmo, não existe "cordão curto") até quase 1 metro de comprimento e está sempre enrolado em alguma(s) parte(s) do bebê. Falar em circular de cordão é quase redundância. Como assim um cordão sem circular, num espaço exíguo, com um bebê em constante movimento? Não faz nem sentido. Os bebês interagem com o cordão, seguram, soltam, mexem. Enrolam-se, passam por dentro, fazem nós e voltas. Macramê do bebê. Ele é preenchido por uma substância gelatinosa que dá volume e protege os vasos sanguíneos internos.

Acidentes verdadeiros de cordão são situações raríssimas, que podem ocorrer durante a gravidez, por exemplo quando o bebê faz um nó verdadeiro e estica o cordão com seus movimentos, interrompmento assim o fluxo sanguíneo que o mantém. Porém esses eventos são mais raros do que um gêmeo surpresa na hora do parto, um acidente importante de trânsito, é um tipo de loteria ao contrário que atinge 1 a cada 5 mil gestações. Se isso fosse algo de fato constante em nossa espécie, os bebês não se mexeriam loucamente no útero, interagindo com um cordão de 80 cm de comprimento. Se acidentes de cordão fossem algo fácil de ocorrer, nossos cordões teriam 20 cm, e nossos bebês ficariam quietos numa só posição. A natureza teria cuidado de selecionar essas características.

O famoso prolapso de cordão - quando o mesmo desce pelo colo do útero e vagina antes da cabeça do bebê, interrompendo fatalmente o fluxo de sangue - é um evento igualmente raro, que ocorre principalmente quando o profissional de saúde rompe a bolsa artificialmente, e já há dilatação do colo do útero porém o bebê está alto. É nessa hora que o cordão pode vir com o líquido. Se não provocarmos a catástrofe artificialmente, na natureza ela é ainda mais rara.

As circulares de cordão no pescoço do bebê não representam risco adicional no parto, porque o bebê se movimenta muito menos no final da gestação e já não faz voltas incríveis e absurdas. O cordão sempre está enrolado no braço, no tronco, no pescoço. Uma grande vantagem da circular no pescoço é que o cordão não tem como descer abaixo da cabeça do bebê. Alguns chegam a ter até três ou quatro circulares, os babalorixás intrauterinos. Cerca de um terço dos bebês nascerá com pelo menos uma volta de cordão umbilical ao redor do pescoço.

Durante o trabalho de parto o útero contrai e empurra o bebê pelo canal de parto e conforme ele desce, o útero todo desce junto, inclusive placenta e cordão. Não há um aumento de tensão no cordão durante o parto. Tudo vem junto. A grande descida final acontece quando a cabeça do bebê finalmente sai de dentro de sua mãe, mas nesse momento é possível inclusive cortar o cordão, se for necessário. Em dez anos de prática, nunca fiz, nem nunca vi um(a) colega cortar um cordão nesse momento. Se o cordão chegou até ali, dá para o bebê nascer.

O mito do cordão que segura o bebê e que não permita que ele desça no canal de parto é outro que precisamos desafazer. O cordão não tem força para segurar um bebê que desce através da bacia pélvica. Se assim fosse, cedo ou tarde um cordão se romperia com o bebê ainda no meio do caminho e isso não existe. Como foi dito, o cordão está descendo junto com o bebê. O problema é que muitos profissionais de saúde incrivelmente não sabem que o trabalho de parto é caracterizado por esse vai e vem do bebê. Contração vem, bebê desce, contração vai, bebê sobe. Cada vez ele desce mais um pouquinho.

No momento em que o bebê nasce, o útero desce quase até a altura do umbigo, com a placenta colada e acompanhando o movimento de descida. ou seja, tudo vem junto, não se trata de um bebê bungee jumping. Em nível de curiosidade, sabia que o Brasil é um dos únicos países do mundo em que aparece "circular cervical de cordão" no laudo da ultrassonografia? Será que é por acaso que estamos com 52% de cesarianas?

Hoje em dia, entre as parteiras profissionais, já se discute inclusive a necessidade de se sentir se há ou não circular de cordão no momento em que a cabeça sai, e se há qualquer necessidade de se retirar essas alças por cima da cabeça. Pessoalmente penso que não e cada vez intervenho menos. Se a cabeça saiu, o resto vai sair por si só. Deixemos as mulheres e os bebês em paz, eles sabem o que estão fazendo. O monitoramento pode ser feito acessando batimentos, cor e aspecto do bebê.

Depois que o bebê nasce, o cordão não deve ser cortado antes de parar de pulsar. O sangue que está lá dentro pertence ao bebê. Aquele sangue é cheio de células T e hemoglobina, sendo muito importante para o primeiro ano de vida. O ideal é que deixemos esses cordões ligados o quanto for necessário. Podemos deixar até a placenta sair, se for o caso. Não há pressa em se cortar o cordão. O bebê não perde sangue por ali, ele só ganha. Em partos emergenciais a ordem é: não mexa no cordão. Tem até alguns grupos que deixam o bebê ligado no cordão (e portanto na placenta) durante horas e alguns durante dias. Cortar o cordão é apenas um ritual, não importa quando e como o façamos, desde que esperemos que ele pare de funcionar e passar sangue para o bebê.

Cordões umbilicais são fortes, são protegidos e protegem o bebê. Confiemos um pouco mais na natureza, que vem há cem mil anos filtrando os ajustes, montando um processo de parto que seja o mais seguro possível.

Fonte: Facebook.

sábado, 25 de maio de 2013

2

8 meses.

Aff, como eu odeio quando eu esqueço de publicar os posts.. Enfim, era pra ter publicado esse, perto do dia que o Guga fez 9 meses, só assim pra descrever tudo que ele aprendeu no mês. Então vamos lá:

Fica de pé, 
engatinha direitinho, 
faz não com a cabeça, 
usa as duas mãos pra segurar as coisas e dança.
Como o papai foi despedido acabamos nos enrolando e não teve mêsversário ):
E é isso, post mínimo só pra não passar em branco mesmo, rs. Beijos meninas (:

quinta-feira, 23 de maio de 2013

7

Susp. de Meningite - Parte 3 (final).

.. Depois de um tempo, a médica voltou, e disse que os exames não apontaram nada, mas que como a febre ainda estava indo e vindo, nós ficaríamos mais uma noite lá, pra garantir; pro Guga continuar tomando a medicação e que poderíamos ir embora no dia seguinte.
A vovó foi embora, e a dinda veio. Pegou as nossas coisas e levou pra sala que nós iríamos ficar (observação pediatra). A enfermeira disse que nessa sala, não podia ficar 2 acompanhantes, teria que ser só eu mesma.
 Daí por diante as horas passaram rápido. Não teve mais medicação na veia nem coleta de sangue, como ele ainda estava tendo febre, a enfermeira me deu dipirona em gotas e eu dei enquanto ele dormia, cuspiu a metade.

A médica com dó de ficar furando ele, falou pra dar dipirona quando tivesse febre, então eu falei que tinha paracetamol bebê que era o que ele estava acostumado a tomar, e ela disse que podia dar se ele tivesse febre.
A irmã da pediatra estava na sala, por estar passando mal. E ficou dando tchau pra ele, do outro lado da sala e não é que ele deu tchauzinho também?! *---* Mesmo dodói, ele continuou um poço de fofura e esperteza (depois posto um vídeo).
Quando a febre começou a voltar, eu dei o paracetamol e ele cochilou um pouco.

Guga cheio de esparadrapos, eu já tinha tirado da mão esquerda e não apareceram os dos pés na foto (Foto: Facebook)


A dinda foi embora, e eu fiquei sozinha com o Guga. O Guga dormiu e eu fiquei no face pelo celular, enquanto ele dormia. As enfermeiras foram pra lá, assistir a novela e até o Guga ficou quetinho, e rindo pra uma delas. Pedi pro papai trazer umas coisas pra mim comer, ele veio, brincou um pouco com o Guga (ele não aguentou ver ele dormindo --') então aproveitei pra pedir ajuda pra dar banho no bebê (já que não tinha banheira) e pra ele vigiar o Guga enquanto eu tomava banho..
Nós dormimos e quando acordei no dia seguinte, conversei com a médica, ela me deu atestado pra 10 dias, e explicou que ele teria que vir no dia seguinte tomar mais uma vacina (iam dar uma antes dele sair), e disse pra mim voltar em 7 dias pra refazer os exames e foi embora com a irmã.
Depois chegou a enfermeira e eu segurei o bebê pra ela dar a vacina, que teve que ser dividida em duas doses, uma em cada lado do bumbum. Ela deu as vacinas, liguei pro papai e fomos embora.
No dia seguinte (sexta), voltamos e deram as vacinas novamente e voltamos pra casa, graças a Deus ele não teve mais febre e depois de uns dias as pintinhas sumiram.
Ele ficou tão bem que até fomos a casa da minha vó no dia das mães. Nos divertimos muito, mas isso é coisa de outro post.
Domingo ele ficou com um pouco de diarreia novamente, e segunda também, comprei um soro e dei pra ele e ele ficou novinho em folha. Quando refizemos os exames na quinta, ele só estava com um víruszinho, e ela disse que se a diarreia não melhorasse em três dias, pra voltar na pedi, mas nem precisou, ele está muito bem até hoje :)
Obrigada a todas que me mandaram mensagens e se preocuparam com ele, e até a próxima travessura. Beijos meus e do Guga ;*

sábado, 11 de maio de 2013

4

Suspeita de meningite - Parte 2.

A enfermeira arrumou a sala e eu entrei com o Guga e a dinda dele, depois de um tempo, a enfermeira chegou, e foi colocar o acesso, pra dar a medicação, mandou a gente tomar cuidado pra ele não tirar, colocou o soro, a medicação enquanto conversava com a gente, ela tem uma filha de 9 meses, ficou com muita dó do Guga, cantou pra furar ele, uma fofa! E mandou prepararem uma mamadeira pra ele, depois o enfermeiro trouxe o Mucilon e a dinda colocou na mamadeira e ele tomou, adorou!
A dinda foi chamar o papai, e eu contei pra ele, e nós três choramos.
Eu mandei mensagem pra família avisando e ele ligou pra mãe dele pra avisar, todo mundo chorou muito, depois o papai foi embora, e ficamos eu a dinda e o Guga, o Guga dormiu, e mandei  papai trazer umas coisas pra gente dormir também. Dormimos os três na cama. No dia seguinte acordamos 6 horas, doida pra ir embora. Lá pras 9 a enfermeira chegou, não a enfermeira fofa, de outro plantão, disse que ia pegar a medicação. Mas enquanto brincava o Guga tirou o acesso do lugar e começou a sangrar, apertei a campainha, e a enfermeira chegou, eu avisei que ele tinha tirado o acesso e que estava sangrando, ela disse que já ia trazer a medicação e voltou com outra enfermeira, que já chegou dizendo que não poderia ficar dois acompanhantes, e eu disse que sou menor, e ela estava lá pra me ajudar, então ela disse, "não adianta nada ter duas pessoas, se vocês deixaram o garoto tirar o acesso", quase voei no pescoço daquela vaca --'
Furou o Guga nos dois braços, nas mãos, nos pés e não conseguiu a veia, que ódio que eu fiquei, a enfermeira fofa conseguiu de segundo e ela ficou lá judiando do meu neném, e dizendo que ele era muito ruim, que toda veia que ela pegava, estourava. Dizendo pro Guga que a culpa era minha e da Sara (dinda) que não cuidamos direito dele, deixamos ele tirar o acesso e por isso ele tinha que ficar sofrendo agora..
Fui no banheiro, e a Sara ficou segurando ele enquanto elas tentavam, quando voltei, fui responder a mensagem da minha cunhada e ela virou pra mim e perguntou "Tá no face?", aff, pense numa pessoa que queria esmurrar a cara dela. Era eu. Mas fiquei quieta. Depois a vovó chegou e eu a abracei e nós duas choramos muito. A dinda saiu pra ela poder ficar, e ela disse que só iria embora quando saísse o resultado do exame. A enfermeira nojento chamou outra enfermeira pra tentar, que conseguiu na terceira tentativa, enquanto ele estava no colo da vovó, mas só o suficiente pra refazer os exames, a veia não ia aguentar o acesso. A comida chegou, eu comi um pouco, e o Guga mamou um pouco, deitei com ele na maca e dormimos, já que tínhamos dormido muito mal na noite anterior, pois toda vez que o ar fazia barulho o Guga acordava. Acordei com a vovó e a dinda conversando, a Sara tinha ido comprar uma quentinha pra vovó, e a enfermeira que conseguiu tirar o sangue dele mais cedo, apareceu na hora que a dinda ia sair, e reclamou de ter muita gente, a vovó explicou que a Sara só tinha ido comprar a comida pra ela, e ela disse que ainda por cima tinha levado comida pra lá, que não podia e que ia chamar a chefe. A dinda saiu, e a vovó guardou a comida. A enfermeira voltou depois com o resultado do exame e a médica.

Amanhã (ou melhor, hoje) continuo, porque o post já tá muito grande.. Beijos!
8

Suspeita de meningite - Parte 1

Comecei a escrever esse post na terça à noite, mas sai e esqueci de postar, sem imaginar a reviravolta que aconteceria..
Post original: Bom, vim explicar porque não tenho visitado o blog das amigas, nem atualizado o blog.. O Guga está dodói.. Semana passada ele melhorou da gripe, mas no feriado, fomos na casa da vovó, e no dia seguinte ele amanheceu gripado.. E eu também! Só que desde segunda a noite ele estava meio febril, ontem o levei no posto, cheguei devia ser no máximo 9, e fiquei até 13 esperando o médico.. Que não foi! Como eu tinha quebrado o termômetro, a enfermeira mediu e ele estava com 38Cº, a enfermeira chefe disse que devia ser por causa do dente, e mandou dar paracetamol a cada 6 horas em caso de febre. Ontem, 23:30, quando fui dar novamente o remédio, ele estava com 39,6Cº (mandei o papai comprar um termômetro digital) dei o remédio, e a febre baixou de novo (são 01:00). Mas como ela está indo e voltando, vou ficar vigiando.. Se daqui duas horas a febre voltar, eu e o papai vamos levá-lo ao PS..
E eu passei mal na terça da semana passada (crise de bronquite) fui a UPA fiz nebulização, tomei injeção e melhorei, mas na terça dessa semana eu passei mal de novo, quando esse tempo vira, ele acaba comigo..
Continuação dos fatos: Depois que saímos (3:00), fomos em 3 UPA's, mas nenhuma tinha pediatra.. Só na daqui de perto de casa que teria pediatra 07:30. Chegamos 04:00 e eu levantei 05:30 pra garantir que ele seria atendido, ele estava queimando de febre, mas como sabia que ele não seria atendido caso eu chegasse lá e a febre tivesse passado, eu não dei remédio. Liguei pra dinda dele, e 06:30 saímos daqui, chegamos lá 07:00 e esperamos até 10:00 pra saber se o pediatra iria, e graças a Deus ele foi.
Consultou o Guga, passou injeção de Dipirona pra febre e mandou fazer exame de sangue e urina.. Chorou muito, que dó. Saí da sala e ficamos esperando o resultado.. Quando deu 13:00 eu resolvi irmos em casa almoçar, comemos e dormimos um pouco, kkk. Voltamos pra UPA 15:00 e esperamos até as 17:00, quando resolvi perguntar onde estava o exame.. O cara foi lá dentro, pegou, me deu e eu fui mostrar pro médico, sem saber que o exame ia direto pra sala dele --'
Quando ele ia nos atender, chegou uma menina que tinha sido atropelada por uma moto, e tinha um corte enoorme no supercílio, estava com a roupa da escola cheia de sangue, quando eu vi o sangue até virei a cara :s Mais um ano pra ele atender a gente.. Depois disso nem sei mais quanto tempo demorou, só sei que foi muuuito tempo, vim em casa pegar um lanche e deixei o Guga com a dinda, quando voltei eles estavam na sala, e então ele falou: Olha só, eu posso errar pra mais, ou pra menos, mas eu vou preferir pra mais. Temos  dois exames ótimos, que não indicaram nada, mas essas manchas e a febre são sintomas de meningite, então eu vou internar ele, e vocês vão passar a noite aqui, pra refazer os exames amanhã.
Eu assenti, me segurando para não chorar, milhões de coisas vieram a cabeça, e então ele mandou a enfermeira ir preparar o isolamento.
O post já tá muito grande, então vou dividir em partes, mais tarde eu continuo o post! Beijos :*

sábado, 4 de maio de 2013

11

Receita de soro caseiro para diarreia e vômito.


 Olá meninas, depois de tanto tempo, estou retomando as atividades bloguesféricas hoje, rs. E nada melhor para começar, do que um post né?!

 Então, hoje, eu iria com o Guga visitar a casa do vovô (meu pai), iríamos de tarde, mas quando deu meio dia e pouca, o Guga já havia feito coco 3 vezes, e estava meio líquido, então resolvi ficar em casa e deixar pra ir amanhã. Liguei pro meu pai e avisei. Coloquei o Guga pra dormir e vim pro computador dar uma pesquisada na net, pra fazer um soro caseiro pra ele, afinal, prevenção nunca é de mais né?!
 Como é uma coisa muito útil, eu vou passar a receita e algumas informações pra vocês, pois apesar de ser uma coisa boba, sei que muita gente (como eu), não sabe as medidas certas. (Meus comentários estão em azul.)

 "O tão famoso soro caseiro nada mais é que uma solução aquosa de açúcar e sal de cozinha recomendado para prevenir a desidratação.
A função do soro caseiro, dado por via oral, é repor água e sais minerais perdidos com os vômitos e diarreia.
O soro deve ser tomado à vontade, a cada 20 minutos, e após cada evacuação líquida ou vômito."

O certo, é usar uma colher padrão (como a da imagem abaixo), mas como eu nem sabia da existência desse utensílio (que é muito mais prático), fiz com uma colher normal mesmo.

Imagem: Google

Preparando o soro caseiro com a colher-padrão
Para evitar erros na concentração, a UNICEF preconiza a utilização de uma colher-padrão (disponível em todo posto de saúde) que apresenta as medidas para a preparação do soro:
• duas medidas rasas de açúcar (medida maior da colher-padrão);
• uma medida rasa de sal (medida menor da colher-padrão);
• um copo (200ml) de água filtrada e/ou fervida.

Preparando o soro caseiro sem a colher-padrão
Caso você não possua a colher-padrão, pode fazer o seguinte:

Modo 1
: Com uma balança de cozinha.
• 40g de açúcar (o soro caseiro tem 40g de açúcar comum, que é sacarose - esta se desdobra em 20g de frutose e 20g de glicose – somente essa é útil na absorção do sódio);
• 3,5g de sal;
• 1 litro de água filtrada e/ou fervida.
"O soro não deve ser nem mais doce e nem mais salgado que água de côco ou lágrima."

Modo 2: Com as próprias mãos.
• três pitadas de açúcar (alguns textos descrevem como um punhado);
• uma pitada (de três dedos) de sal;
• um copo (200ml) de água filtrada e/ou fervida.

Obs: Não se esqueça de lavar as mãos antes de preparar o soro!


Atenção: O soro deve ser ministrado apenas para prevenir a desidratação ou quando ocorrerem os sintomas iniciais. Em casos mais graves o paciente deve ser encaminhado imediatamente a um médico.
Fonte: Pediatria Brasil



O Ministério da Saúde distribui gratuitamente nos postos do país e nas unidades da rede Farmácia Popular o soro de reposição oral, que concentra 3,5 gramas de sal e 20 gramas de açúcar por litro de água. Atualmente, o soro caseiro só é recomendado em casos de emergência, pois os pais costumam superdosar esse preparo.

Sintomas da desidratação
Os sinais da desidratação por diarreia em crianças, a causa mais comum, são: moleira funda, boca seca, olho seco e choro sem lágrima. O tratamento deve ser feito com soro oral e/ou leite materno.
Já a desidratação por calor, mais rara – a criança tem que ficar o dia inteiro exposta ao sol ou fechada em um carro a 40° C -, causa boca seca e olho mais fundo. Especialistas recomendam o consumo de água, chá, suco e água de coco.

Preparo do soro oral
- Misturar todo o envelope em um litro de água fervida ou filtrada;
- Não adicionar açúcar nem sal;
- Não ferver o conteúdo depois de pronto;
- Só usá-lo por 24 horas. Após esse prazo, jogar fora o que sobrou e preparar mais um litro;
- Quando não houver a solução de reidratação oral, pode-se usar o soro caseiro, cuja colher-medida está disponível nas Unidades Básicas de Saúde (UBS).

Fonte: Bem Estar (Globo)

"O soro caseiro é indicado para todas as idades e pode, inclusive, ser utilizado em cães e gatos, quando houver necessidade."
Fonte: Tua Saúde

Espero que tenham gostado do post, e que ele seja útil pra vocês, como foi pra mim. Beijos!

quinta-feira, 2 de maio de 2013

0

Promoções J&J' Produções Artísticas

Olá meninas, quanto tempo né, rs. Desculpem o sumiço mas tive uns problemas com o pc e perdi toodos os arquivos, e não estava conseguindo baixar o navegador.. Mas enfim, tudo já está resolvido! Então vamos ao que importa..
A nossa parceira Ju, está com duas SUPER promoções no blog dela, deem uma espiada:

E a outra..
Na compra de uma retrospectiva animada de 50 fotos e 30 lembrancinhas de qualquer tipo,
você ganha um lindo caderno assinaturas!

Tá bom ou quer mais?! Então vamos correr pro site dela, e aproveitar essa mega promoção!
Beijos meus e babados do Guga s2'

Nascimento do Príncipe